Você pode nem perceber ou saber, mas os aditivos minerais
são um forte aliado de sua saúde e de sua beleza

 

O sábio poeta Vinícius de Moraes disse que “beleza é fundamental” e isso foi, cada vez mais, levado a sério por mulheres e homens. Para se ter ideia do quanto o segmento cresce, segundo a Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (Abihpec), em 2018 o setor de beleza teve crescimento de 2,77% em relação a 2017. Para 2019 é esperada alta entre 1,5% e 2% em comparação com 2018. um dos fatores    que faz com que esses números sempre positivos é a qualidade dos produtos. E quando se fala em qualidade há um item que garante isso para a indústria de cosméticos: os aditivos minerais.

Claro que não são os aditivos minerais os responsáveis pela diversidade e crescimento do setor, mas eles estão na composição de cremes, esfoliantes, shampoos, batons, sabonetes, desodorantes, géis e em uma infinidade de produtos de higiene e beleza. O segmento de beleza percebeu que eles garantem essa qualidade e são ingrediente fundamental na fabricação desses produtos.

São muitos os aditivos minerais que podem fazer parte dessas formulações. Cada um com sua propriedade, utilidade e eficácia. Um mesmo aditivo mineral tem várias utilidades e a Brasilminas tem, em seu portfólio, os principais aditivos minerais usados pelo segmento. vamos entender mais alguns deles, suas composições, propriedades e, principalmente, seus usos pela indústria de cosméticos:

Calcita – “Mineral com composição química CaCO3, com clivagem perfeita e romboédrica. Cristaliza em uma grande variedade de formas. É fonte de cálcio e cal, sendo importante em instrumentos óticos (quando límpida e incolor). É o principal constituinte dos calcários e mármores, ocorrendo também em conchas, bem como cimento em rochas sedimentares e em carbonatos. Tem o cálcio como principal elemento formador. A calcita, ou calcite, é o mineral constituinte do calcário. Normalmente nas grutas de calcário as estalagmites e estalactites são feitas de calcita” (Wikipédia). Geralmente branca ou incolor, a Calcita pode apresentar várias outras cores, com dureza 3 na escala Mohs e peso específico 2,6 a 2,8 g/cm3. Suas Principais aplicações são nos segmentos de adesivos, agronegócio, artesanato, borracha, cerâmica, construção civil, cosmético, domissanitário, filtração, fundição, geoterapia, farmacêutica, impermeabilizante, papel, petróleo, plástico, química, refratários, siderurgia, tintas etc. Na indústria de cosméticos é muito utilizada na fabricação de sabões, sabonetes, cremes e outros, elevado grau de alvura e baixíssimo custo.

Mica – “O grupo de minerais mica inclui diversos minerais proximamente relacionados, do grupo dos filossilicatos, que têm a divisão basal altamente perfeita. Todos são cristais monoclínicos, com tendência para pseudo-hexagonal, e são similares na composição química. A divisão altamente perfeita, que é a característica mais proeminente da mica, é explicada pela disposição hexagonal de seus átomos ao longo de planos sucessivamente paralelos” (Wikipédia). Silicato de alumínio, potássio e sódio com dureza 2 a 3 na escala Mohs e peso específico 2,6 a 2,9 g/cm3. Principais aplicações: adesivos e selantes, artesanato, automotivo, borracha, cerâmica, cosmético, construção civil, domissanitário, elétrica, pigmento, plástico, refratário, tinta etc. No segmento de cosméticos, é muito usado em produtos que deem mais brilho ao rosto, por exemplo, também esmaltes de unha, batons, sombras e cremes.

Quartzo – “Segundo mineral mais abundante da Terra (aproximadamente 12 % vol.), perdendo apenas para o grupo de feldspatos. Possui estrutura cristalina trigonal composta por tetraedros de sílica (dióxido de silício, SiO2),[2] onde cada oxigênio fica dividido entre dois tetraedros. Existem diversas variedades de quartzo, alguns chegando a ser considerados pedras semi-preciosas. Desde a antiguidade, as variedades de quartzo foram os minerais mais utilizados na confecção de jóias e esculturas de pedra, especialmente na Europa e no Oriente Médio” (Wikipédia). Conhecido como sílica ou dióxido de sílicio, esse mineral é alocromático com dureza 7 na escala Mohs, peso específico 2,65 g/cm3 e ponto de fusão da ordem de 1.720 oC. Principais aplicações: abrasivos, artesanato, cerâmica, construção civil, cosmético, domissanitário, eletrônica, farmacêutica, filtração, fundição, impermeabilizantes, química, tintas, vidreira etc. Devido à sua abrasividade é usado na produção de cremes, géis e sabonetes esfoliantes.

Talco – “Talco, esteatita ou esteatite é um mineral filossilicato, com composição química Mg3Si4O10(OH)2. Cristaliza no sistema monoclínico, sendo os cristais muito raros. Apresenta-se geralmente em massas fibrosas ou foliadas. A sua cor varia de branco a cinzento, verde-maçã a amarelada. Apresenta risca branca, brilho perláceo a nacarado (lembra pérola) e é translúcido a opaco” (Wikipédia). Silicato de magnésio hidratado, com dureza 1 na escala de Mohs, peso específico entre 2,60 a 2,65 g/cm3. Principais aplicações: automotiva, artesanato, cerâmica, construção civil, cosmético, eletrônica, farmacêutica, impermeabilizantes, química, tintas, vidreira etc. Pela indústria cosmética é utilizado como carga e adsorvente, por exemplo, em talcos desodorantes para os pés, para inibir a sudorese intensiva mantendo os pés secos. Também usado na confecção de cremes, géis e sabonetes esfoliantes, pomadas, rouges e pós.

No portfólio da Brasilminas, além desses aditivos minerais citados para a indústria cosmética, você pode encontrar, entre outros, Argila, Caulim e Dolomita, amplamente usados por esse e vários segmentos que utilizam desses produtos como matérias-primas.