Com diversas utilidades para melhoria da saúde e do desempenho animal, os

aditivos minerais são essenciais, tem custos mais acessíveis e resultados mais eficazes

 

A história da civilização está totalmente ligada ao cuidado com os animais. O homem, desde tempos imemoriais, tirou do campo tudo o que está diretamente atrelado ao seu sustento e sua alimentação: das plantações ao uso de animais para consumo, trabalho, lazer, enfim, para tudo. O uso do animal é tão fundamental que a própria evolução da espécie está relacionada a isso. Então, que o homem tenha o máximo de cuidado com suas criações e a saúde animal sempre foram essenciais para a sobrevivência do próprio homem. O cuidado com a saúde do animal resulta na melhor garantia, a grosso modo, da saúde do homem.

 

Claro, o tempo é o principal aliado nisso. O conhecimento e a descoberta de novas formas de melhor cuidar do animal foram inerentes e essenciais a essa evolução – que começa, em todos os sentidos, na terra. O uso de aditivos minerais vem ao encontro dessa necessidade e evolução. Talvez até sem conhecimento específico, o homem já usava os aditivos minerais para melhorar sua produção e a saúde de suas criações. Afinal, era a natureza cuidando da natureza. Hoje, como base e resultado da evolução, os aditivos minerais são substâncias inorgânicas necessárias ao corpo – seja do homem, seja do animal. Mesmo os aditivos minerais orgânicos produzidos pelos animais, como veremos, podem ser melhorados, aperfeiçoados e potencializados com o uso de aditivos minerais inorgânicos.

Atualmente, muito usados, os aditivos minerais, por sua abrangência e competitividade, são importantes aliados no desenvolvimento de produtos que visem à melhoria de desempenho e mais saúde a todos os animais do plantel, qualquer um deles, seja de corte, produção, tração, exploração ou mesmo aqueles animais domésticos. Tudo, absolutamente tudo, tem aditivo mineral. Pode-se afirmar, sem errar, se é para a saúde animal, tem aditivo mineral.

 

Não é só de hoje, mas produtores investem cada vez mais em soluções naturais para melhorar a saúde e a produtividade de seus animais. O aditivo mineral vem sendo um caminho, sem trocadilho, natural. O uso dos aditivos mineiras na saúde dos animais está ligado diretamente às funções relacionadas ao crescimento e manutenção dos tecidos corporais, na regulação e melhora dos processos corporais (desempenho, por exemplo) e no uso de energia dentro das células do corpo. É muito mais comum do que se pensa (mais barato, saudável) substituir, por exemplo, medicamentos, como antibióticos, por aditivos minerais, que melhoram a saúde, a imunidade, a absorção de nutrientes e, consequentemente, o crescimento da criação.

 

 

O maior cuidado com a saúde animal tem relação direta com o aumento do consumo de carne animal – no mundo todo. Não faltam pesquisas para mostrar os ganhos ambientais, na saúde e na produção animal com o uso de aditivos minerais. Os aditivos, em conjunto com outros elementos, são responsáveis, por exemplo, à melhoria da genética e do desempenho dos animais. Em suma, seu uso é de fundamental importância dentro da cadeia produtiva do agronegócio, especificamente no que se refere à saúde animal.

 

Elementos como Cálcio e Fósforo, que já são encontrados no organismo animal e representam 3/4 dos tecidos animais e 90% da substância mineral dos ossos, são exemplos de que a natureza alimenta a natureza e são necessários ao organismo e essenciais para, por exemplo, reprodução, crescimento, melhora do metabolismo das funções fisiológicas vitais.

Outros, como Ferro, Zinco, Cobre, Manganês, Molibdênio, Selênio, Iodo e Flúor (os chamados Microminerais); ou Sódio, Potássio, Cálcio, Fósforo, Cloro e Magnésio (Macrominerais).Todos estes macro/micronutrientes estão contidos nas matérias primas trabalhadas pela Brasilminas.

 

 

Elementos como Cálcio e Fósforo, que já são encontrados no organismo animal e representam 3/4 dos tecidos animais e 90% da substância mineral dos ossos, são exemplos de que a natureza alimenta a natureza. Outros, como Ferro, Zinco, Cobre, Manganês, Molibdênio, Selênio, Iodo e Flúor (os chamados Microminerais); ou Sódio, Potássio, Cálcio, Fósforo, Cloro e Magnésio (Macrominerais). Todos eles contidos em suas matérias-primas, visto que são necessários ao organismo e essenciais para, por exemplo, reprodução, crescimento, melhora do metabolismo das funções fisiológicas vitais.

 

Destaque-se, por fim, que o uso dos aditivos minerais para a saúde animal é uma tendência que só tende a crescer. Por exemplo, mercados estrangeiros, como a Europa, deixaram de consumir (e comprar) carnes de produtores que usem antibióticos para o crescimento. A alternativa segura e natural está na “natureza”.

 

A Brasilminas tem em seu portfólio de produtos o que de melhor a natureza criou para seu negócio. Por meio de constantes aperfeiçoamento e inovação, pode-se afirmar que possui os minerais inorgânicos não metálicos como fonte de macro e micronutrientes que a sua empresa necessita. Consulte-nos.